Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Next

Três artistas estreiam em nova exposição no Café Bathé

Três artistas estreiam em nova exposição no Café Bathé

 

Raízes, olhares abstratos e visões do subconsciente são alguns dos pontos de partida para as obras da exposição “SerVida, Amor?”, com abertura na galeria do Café Bathé, nesta segunda-feira (7/8), a partir das 19 horas. Reúne cerca de 30 obra de três artistas paranaenses:Elisabeth Sekulic, Cé Figueiredo e Márcia Dalcin. Com curadoria de Birgitte Tümmler, a mostra pode ser visitada até 4 de novembro.

 

O título da exposição é uma união de palavras, “Ser”, “Vida” e “Amor”, um triângulo dos temas que as artistas propõem em seus trabalhos. “SerVida, Amor?” mistura telas inéditas com outras já expostas em coletivos ou individualmente. “Cada elemento traduz as obras das artistas, mostrando a unidade de uma pessoa, de uma existência”, comenta Birgitte.

 

Imagens marcantes

 

Elisabeth Sekulic aborda o tema “Ser”, no qual visita o inconsciente coletivo em técnicas de pigmentação em cera sobre tela e pintura em painéis de ferro. Seu ponto de partida são manchas nas superfícies, que ela recria com novos desenhos. “A criação artística não sai do consciente da pessoa, parte do inconsciente coletivo a partir de imagens”, explica Elisabeth, que se inspira nos trabalhos do psiquiatra Hermann Rorschach, cujo método diagnosticava pacientes a partir da interpretação destes de imagens de manchas. “Faço uma representação do que vi naquele momento”, comenta Elisabeth.

 

Já “Vida” fica a cargo de Cé Figueiredo. Ela constrói imagens a partir do estudo de plantas – tem formação em biologia. “A vegetação é um tema que gosto muito, tento transitar da arte pra biologia e vice-versa”, comenta. Assim, as telas com pinturas em acrílico revelam detalhes do sistema vegetal e a interação do homem com o meio ambiente.

 

PIlares existenciais

 

O tema “Amor”, por sua vez, é abordado por Márcia Dalcin, com suas obras abstratas em tinta acrílica. A fonte de inspiração parte do amor e da família, que ela considera seus pilares existenciais. Formas retilíneas de poucas cores se cruzam, são sobrepostas ou aparecem em paralelo, buscando equilíbrio na imagem. “Cada tela é uma tela, uma inspiração, que deixo fluir, sem seguir intencionalmente algum padrão pré-estabelecido”, explica a artista sobre seus métodos de criação.

 

A curadoria é assinada pela artista plástica dinamarquesa Birgitte Tümmler. Entre seus trabalhos mais recentes, fez curadoria do coletivo “Redescobrindo o Brasil 2016” e dos individuais “Luminescências” (de Daniel Castellano), “Fóssil Futuro” (de Rogério Borges), “Plenitude em Pontos” (de Andréa Horn), “Seres Iluminados” (de Aline Albuquerque), “A Cerâmica” (de Gilberto Narciso) e “Papel” (de Osvalter Urbinati).

 

Exposição “SerVida, Amor?” no Café Bathé

 

Data: abertura dia 7 de agosto, a partir das 19 horas.

Horário: das 19h às 22h

Horários para visitação durante funcionamento do Café: de terça-feira a sábado, das 11h às 21h – até 4 de novembro.

Endereço: R. Desembargador Costa Carvalho, 89 – Batel

Informações: (41) 3026-7006

Like this Article? Share it!

Leave A Response